top of page

MARI MURIAL

Mariana é de Fortaleza/CE e quando pequena já queria ser igual ao apresentador do programa Art Attack, que fazia desenhos e se divertia com isso. Esse pensamento ficou com ela por toda a vida, na escolha de seguir a carreira pela área do design gráfico e por agora buscar na licenciatura a oportunidade de mostrar esse jeito divertido de olhar a arte como professora. Foi na licenciatura, que se descobriu uma artista com dislexia e aproveita esse espaço para levar mais informação aos outros estudantes e para o público.

2022
A DISLEXIA É PARA DISLÉXICOS?

A pesquisa visual desenvolvida pela artista passa por uma reflexão sobre como funciona o cérebro de uma pessoa com dislexia.
Remete ainda a um pensar essencial de uma questão que muitas vezes não é discutida: como a própria palavra “dislexia”, que tem uma característica identitária para o grupo, apresenta uma grafia muito difícil para quem se deveria conectar facilmente com ela.
Trata-se de um ponto muito importante, pois ela distingue indivíduos neurodiversos, mas, ao se tornar de difícil acesso para eles, acaba por ser muito mais utilizada para os neurotípicos terem um vocábulo com o qual podem carimbar aquele que pensa e vê o mundo de maneira diferente.

.

Oscar D’Ambrosio

.

ARTES VISUAIS

MARI MURIAL.jpg

POR
MARI

Às vezes, não é uma motivação e sim um impulso o qual eu desenvolvo algo em minha mente e é preciso colocar para fora, depois vou lapidando até conseguir os resultados que espero, outras vezes é a curiosidade de como vou resolver essa questão estética, aí é mais uma metodologia de tentativa e erro.  Mas, às vezes as palavras não me bastam para expressar o que sinto, então preciso produzir imagens para externalizar os meus pensamentos. 

bottom of page